Pular para o conteúdo principal

Confira as flores sazonais de maio

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), realiza uma lista mensal com as flores sazonais, ou seja, que estão na melhor época para serem cultivadas.


Confira abaixo as flores sazonais do mês de maio

Cravo. Reprodução: CEAGESP
 
Antúrio: a espécie não deve ser exposta diretamente à luz, por isso é essencial que fique em lugares com baixa luminosidade.


Azaléia: planta de origem japonesa, a azaleia absorve água através das folhas, por isso é muito importante molhar a folhagem e não só ao redor da base do tronco.


Begônia: São plantas nativas de regiões tropicais, encontradas principalmente na América do Sul. Devem ser cultivadas em locais longe do sol e do frio. A espécie chama a atenção por sua coloração, e é ideal para a decoração em ambientes internos.


Bico de Papagaio: a poinsétia, também conhecida por bico-de-papagaio, é uma planta originária do México. É uma planta muito utilizada para fins decorativos, especialmente na época do Natal, deve ser regada apenas quando a terra estiver seca.


Copo de Leite: normalmente encontrada perto de lagos e rios, está planta é originária da África do Sul. O seu cultivo deve ser feito de maneira correta, a espécie precisa ser regada duas vezes por semana e não pode ficar muito tempo no sol.


Cravo: os cravos são originários do continente asiático, está espécie possui flores grandes e perfumadas. O cultivo do cravo requer bastante luz solar desde que seja regado frequentemente.


Gérbera: a gérbera é uma planta herbácea, perene e fácil de ser cultivada, seja em vasos, jardins, canteiros ou floreiras. Não exige muitos cuidados e tem boa adaptação em regiões de clima seco. Como é rústica, tolera solos mais secos, porém, em períodos de pouca chuva, deve contar com regas regulares, de uma a duas vezes por semana.


Girassol: espécie originária da américa do norte, o girassol é uma ótima alternativa de ter no seu jardim ou em casa. O cultivo deve ser feito em local ensolarado, mantendo a terra úmida, nunca encharcada ou seca demais.

Girassol. Reprodução: CEAGESP

Gladíolo: nativa da África do Sul, esta espécie é da família Iridaceae gênero Gladiolus. Na hora de cuidar é necessário manter uma frequência de irrigação evitando o ressecamento do solo.



Hôrtencia: Originária do Japão, a hortência chama a atenção pela sua coloração viva e intensa. A planta deve ser regada com muita frequência, mas por ser uma planta rústica não exige muitos cuidados especiais.


Impatiens: esta planta é nativa das florestas tropicais do leste da África. Conhecida como maria-sem-vergonha, beijos ou não-me-toque, pode ser cultivada em vasos e floreiras, e bordaduras no jardim. Para aguá-la, só é necessário deixar o solo dela úmido diariamente.


Kalanchoe: está é uma planta natural da África do sul, é composta por plantas do tipo suculentas. A espécie tem a necessidade de clima quente e úmido para se desenvolver bem. O cultivo pode ser feito a meia-sombra, porém, é necessário que receba luz solar direta durante algumas horas do dia.


Lírio: originárias do hemisfério norte e também encontradas na América do Norte, Ásia e Europa, os lírios são famosos pelo seu perfume e beleza. No vaso, os lírios necessitam de um local com boa iluminação, porém o contato direto com o sol forte deve ser evitado.


Musgo Pequeno: musgos preferem crescer com pouco sol. A maioria dos musgos se sente melhor em condições de sombra, ou pelo menos em lugares onde eles não ficam expostos constantemente aos raios solares. Alguns musgos podem sobreviver longos períodos secos, se recuperando rapidamente quando forem umedecidos de novo. 


Orquídea: a orquídea é uma das flores mais populares do mundo, sua coloração e perfume chamam a atenção. A espécie é nativa brasileira e não devem ficar expostas diretamente ao sol.


Rosa: de origem asiática as roseiras já são cultivadas há muitos séculos, há relatos de que o cultivo de rosa tenha começado a pelo menos 5 mil anos antes de Cristo. Para molhar as rosas o processo deve se feito no caule, pois o contato direto da água com as folhas e flores pode incentivar o aparecimento de fungos.

Rosa. Reprodução: CEAGESP
Samambaia: as samambaias são uma das plantas mais antigas da Terra. Para o cultivo ser feito de uma maneira correta, sua samambaia deve ficar distante dos raios diretos do sol, o seu solo deve se manter úmido porém não encharcado para não ocasionar o apodrecimento dos rizomas e o aparecimento de fungos.


Tulipa: A tulipa é originária da Turquia, entretanto é muito conhecida na Holanda por causa dos grandes jardins de tulipas. Adaptadas ao clima frio florescem no início da primavera. Para o seu cultivo em solo brasileiro é recomendado colocar uma pedrinha de gelo no início do dia e outra no fim de tarde, próximo ao local em que a raiz se desenvolve, a fim de diminuir o calor excessivo.


Violeta: Estima-se que as violetas tem origem europeia, mas eles são popularmente conhecidas no África do sul e Brasil. São bem fáceis de cuidar, pois costumam se adaptar facilmente a qualquer ambiente e ainda florescem o ano todo.

Estas e outras espécies de flores e plantas você pode encontrar na CEAGESP, na feira de flores. 


3ª e 6ª feira das 0h às 9h30
(da 2ª feira para 3ª feira e de 5ª para 6ª feira – inclusive aos feriados)
Pavilhão Mercado Livre do Produtor (MLP) - Estacionamento pelos portões 4 e 7

2ª e 5ª feira das 2h às 14h* (inclusive aos feriados)
*os comerciantes costumam encerrar a comercialização antes das 10h
Praça da Batata - Estacionamento pelos portão 18 (veículos pequenos) e portão 7 (veículos grandes)
Endereço: Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 – Vila Leopoldina