Pular para o conteúdo principal

Conheça os benefícios da salsa, o produto da semana (20/3)



A salsa, ou salsinha, como também é chamada, é usada pela humanidade desde os tempos antigos, seja como tempero, sendo muito usada para preparar receitas de pratos e bebidas variadas, ou como medicamento, por suas propriedades fitoterápicas, como por exemplo sua ação diurética, por combater os gases intestinais, facilitar a expectoração, baixar a febre, melhorar a digestão, abrir o apetite e ainda por possuir ação anti-inflamatória.

Da mesma família do aipo e da erva doce, a salsa é rica em nutrientes, vitaminas e fibras. Contém vitamina C (tem ação antioxidante), vitamina K (colabora para a saúde dos ossos e coagulação do sangue), vitaminas A (melhora a saúde dos olhos), vitaminas do complexo B (B1, B2, B9), além de sais minerais como cálcio, potássio, ferro, boro, fluoreto e a clorofila, que dá a sua coloração verde e tem propriedades antissépticas.

Sua ação diurética é muito usada para quem tem problema de retenção de líquidos no organismo e quer se ver livre desse excesso, tomando um chá feito com as folhas da salsa. Esse chá ajuda a aumentar a produção de urina pelos rins e é muito boa para combater infecções renais, tratar ou prevenir pedras nos rins e reduzir a retenção de líquidos (edema). Mas os benefícios que ela traz não param por aí. Veja algumas delas:

  • Ajuda a controlar o açúcar no sangue
  • Impede a formação de coágulos, evitando derrames
  • Atua no combate a anemia
  • Reduz a pressão arterial
  • Auxilia nos processos de inflamações hepáticas
  • Auxilia nos processos de inflamações de trato urinário
  • Alivia asma

Embora ela tenha inúmeros benefícios, que vão muito além dos citados anteriormente, existem algumas contraindicações. Por estimular a menstruação, deve ser consumido com parcimônia por mulheres que já apresentam quadros hemorrágicos ou ciclos intensos, ou que estejam grávidas. Tomar o chá em excesso pode baixar a pressão arterial em demasia, assim como causar hipoglicemia em diabéticos. O chá de salsa também deve ser evitado por quem toma medicamentos anticoagulantes ou por quem tem alergia a aspirina. Na dúvida, sempre consulte um médico.


A salsa apresenta boa oferta o ano todo, e em 2017 deram entrada no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) cerca de 3.692 toneladas do produto, provenientes principalmente das cidades paulistas de Piedade, Ibiúna, Cotia, Mogi das Cruzes, Embu Guaçu e Atibaia. No último dia 19/3, a salsa estava sendo comercializada no atacado do ETSP a R$ 8,49 o maço de 2,5 kg.

Para mais dicas de alimentação, acesse as mídias sociais da CEAGESP: Facebook, Blog e Instagram.