Pular para o conteúdo principal

Dia Mundial do Agrônomo - Mãos e coração dedicados à ciência da agricultura




Um dia de reconhecimento ao profissional que estuda sobre o campo
13 de setembro - Dia Mundial do Agrônomo
Ele escolheu se dedicar a conhecer e a estudar a fundo a terra, o campo e suas particularidades. Por meio de suas competências, diversas técnicas são criadas e aplicadas para conservação e transformação do ambiente natural. Estamos falando do engenheiro agrônomo, profissional capacitado para atuar em diferentes áreas, seja na agricultura, agronomia ou agropecuária.

A data, 13 de setembro, é lembrada mundialmente. No Brasil, o dia também é lembrado em 12 de outubro, data escolhida por ser a regulamentação da profissão no ano de 1933.
De acordo com o Ministério da Agricultura, no Brasil são 194.257 profissionais registrados no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA), sendo São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, os estados com mais trabalhadores no setor.

A Companhia de Entrepostos e Armazéns de São Paulo (CEAGESP) possui em sua equipe 11 engenheiros agrônomos que, distribuídos entre o entreposto da capital, do interior e as unidades armazenadoras, contribuem com seus conhecimentos e profissionalismo para o crescimento e desenvolvimento da Companhia. Há anos, atuam na área de controle de qualidade, na gestão de armazenamento dos silos e graneleiros, no controle fitossanitário e assuntos relacionados.

Maria Salete de Oliveira Gomes, chefe da Seção de Controle Fitossanitário (SECOF), faz parte desse grupo e escolheu a agronomia por sempre ter se interessado pela área biológica. Na CEAGESP, atua na área de estudos e aplicação dos assuntos relacionados à pós-colheita de produtos agrícolas, matéria que até recentemente, segundo Salete, era vista como superficial nas escolas de Agronomia.

A engenheira conta que sente-se realizada profissionalmente pois ama a empresa e o trabalho que realiza, e aconselha os interessados a entrar nesse ramo a se dedicar com amor aos estudos, realizar estágios e estudar sempre. “Continuem a estudar, pois as inovações tecnológicas vêm sempre para melhorar nossa atividade e muitas vezes até a mudar paradigmas”, completa.

Outro integrante do time é Gabriel Vicente Bitencourt de Almeida. Filho de um agricultor e pecuarista, o contato com esse universo despertou em Gabriel a paixão pela Agronomia e o levou para esse caminho. Na CEAGESP, atuou por 14 anos na área de pesquisa e desenvolvimento da Seção do Centro de Qualidade Hortigranjeira (SECQH) e hoje, tem assessorado a gerência do Departamento de Armazenagem (DEPAR) em assuntos técnicos e administrativos.

Essa mudança de área de atuação foi considerada muito boa e proveitosa pelo engenheiro: “Depois de trabalhar por tanto tempo com frutas e hortaliças, estar no DEPAR me propicia o contato com a novidade profissional da pós-colheita de grãos e com uma atividade empresarial.”

As atividades de Maria Salete e Gabriel são apenas algumas das inúmeras encontradas pelos caminhos que a Agronomia oferece. E para eles, para os demais colegas e profissionais do setor, a Companhia deseja muito sucesso e agradece pela dedicação a esse trabalho tão importante para a vida de todos.